Notícias

Postado em 02/02/2017 10:06

Desistência de Nilo tornou desnecessário retorno à AL-BA, explica Vitor Bonfim

.

Share Button
Share Button

Na manhã desta quinta-feira (2), durante os festejos de Iemanjá, o secretário da Agricultura, Vitor Bonfim, falou sobre o seu quase retorno à Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) para votar em Ângelo Coronel (PSD) na disputa pela presidência da Casa. Segundo o pedetista, a desistência do então candidato Marcelo Nilo (PSL), na última terça (31), tornou desnecessária a desincompatibilização.

“Houve uma determinação do diretório estadual do PDT para que o partido apoiasse a candidatura de Ângelo Coronel na segunda-feira, e eu, como bom soldado, obedeceria. Mas na terça à noite, com a desistência do candidato Marcelo Nilo, não houve necessidade da minha desincompatibilização já que havia apenas uma candidatura. E antes do anúncio da desistência de Nilo, os deputados estaduais do partido já haviam se reposicionado publicamente para apoiar a candidatura de Ângelo Coronel. Inclusive o deputado Isidório tinha lançado uma candidatura avulsa e desistiu dentro da linha do partido para apoiar Coronel”, explicou.

No início desta semana, o Pastor Sargento Isidório (PDT) contrariou o presidente estadual da sigla, Félix Mendonça Jr., e reafirmou apoio a Nilo, o que lhe gerou um pedido de expulsão. Para Bonfim, entretanto, Isidório deve permanecer na legenda, já que o deputado recuou no último minuto. “Não vejo motivo para que Isidório saia do partido, que deu oportunidade para que ele fosse candidato a prefeito e ele seguiu a determinação do partido em votar em Coronel”, defendeu, acrescentando que o PDT continuará firme ao lado de Rui Costa: “O PDT continua ajudando o governador Rui Costa a governar o Estado até 2018, já que sempre estivemos juntos. Nas eleições de 2014, o PDT foi o primeiro a declarar apoio a Rui, através do presidente Félix Mendonça, e nada mais lógico que continuemos juntos”.

BUSCAR NO SITE: