Eventos

Postado em 01/01/2017 1:22

Fiéis acompanham procissão em homenagem ao Bom Jesus dos Navegantes

.

Share Button
Share Button

Uma mensagem de esperança para 2017. O novo ano chegou também com fé renovada para centenas de devotos do Bom Jesus dos Navegantes. Na manhã deste domingo (1), os fiéis lotaram a Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, no Comércio, para acompanhar a procissão do retorno do Bom Jesus da igreja à praia de Boa Viagem, de onde a imagem saiu na manhã de sábado (31).

Logo cedo, ?às 8h?, os devotos ouviram as palavras do arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, dom Murilo Krieger, ainda na Conceição da Praia. Na missa, dom Murilo falou sobre a importância da fé.

“Vamos nos lembrar de momentos que marcaram, de decepções com a política, de crise econômica, como experiência. Para esse ano de 2017, Deus tem nos ensinado que, na sua misericórdia, tudo faz sentido, mesmo quando parece que tudo é negativo”, afirmou, durante a missa.

Dom Murilo reforçou que, ainda que existam dificuldades, é preciso ter confiança. “Estamos com Deus. O Senhor navegará conosco. E, para ajudar no barco, está Maria. Não tenhamos medo – ela vai nos acompanhar e interceder por nós. Na hora de Deus, ele vai mostrar sentido e o motivo de ter nos permitido passar por essas experiências”.

Enquanto isso, na Igreja da Boa Viagem, onde o Bom Jesus era aguardado por sua mãe – a Nossa Senhora da Boa Viagem – cerimônia eucarística começou ?às 9h?. O tema da festa este ano foi O Olhar Fixo em Jesus: A Vocação da Família.

Procissão terrestre
Após a missa na Conceição da Praia, o Bom Jesus deixou a catedral, acompanhado dos fiéis, que o seguiam em procissão terrestre, e da imagem de Nossa Senhora da Conceição da Praia.

A comerciante Elisete Reis, 58 anos, acompanha a procissão há 10 anos no dia 1° e no dia 31 de dezembro – para esperar a chegada e ver a saída do Bom Jesus. “Eu já vinha no dia 1°, mas comecei a vir também no dia 31, pela mãe (Nossa Senhora). Sou mãe de quatro filhos e uma mãe tem que estar onde seus filhos estão”.

Pelo quarto ano consecutivo, veio agradecer por uma conquista realizada, em especial. “Meu filho estava no mundo. Há quatro anos, não está mais”, disse. Agora, as orações são por um neto de 18 anos, que também “está no mundo”. “O rumo que o Bom Jesus vai dar no mar vai dar rumo para o nosso Brasil. Vai botar o Brasil nos eixos”, completou, esperançosa.

A professora Maria das Graças Silva, 65 anos, é dessas que segue a tradição de acompanhar o Bom Jesus “desde a adolescência”. Só que, segundo ela, deixou de fazer pedidos pessoais há muito tempo: vem, principalmente, para agradecer. “Tenho saúde, trabalho. Tenho muito mais do que mereço. Meu único pedido é por dias melhores, porque a gente acredita nos nossos governantes, mas eles sempre nos traem”.

Emocionado, o auxiliar de serviços gerais Carlos Teixeira, 56, contou que há 15 anos, vem agradecer na Conceição da Praia. “Estou há 15 anos no banco de reservas, porque o alcoolismo não tem cura, mas tem amparo. E venho agradecer porque Nossa Senhora faz coisas difíceis se tornarem possíveis e o Bom Jesus é o lado visível da fé”.

Até o píer da Capitania dos Portos, no 2º Distrito Naval, também no Comércio, o Bom Jesus dos Navegantes foi carregado por fiéis, por volta de 9h40. Assim, o homenageado do dia subiu novamente na galeota Gratidão do Povo, que o carregara no dia anterior, para voltar à sua casa. Nossa Senhora da Conceição da Praia, que ficou em terra, o acompanhava com olhar atento.

Pelo mar
A procissão marítima saiu da Conceição da Praia e contornou parte da Baía de Todos os Santos. Passou pelo cais do Porto da Barra e por Monte Serrat até chegar à Boa Viagem. Na galeota, o Bom Jesus dos Navegantes foi acompanhado pelo arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger.

Um dos marinheiros, responsáveis por remar na Gratidão do Povo, era o instrutor de remo Jair Santos, 51. Há nove anos, ele é um dos homens que transporta o Bom Jesus. “Sempre tive a vontade, desde que entendi o que era ser católico, aos 19 anos. Quando surgiu o convite de um amigo que já fazia parte, aceitei. O que a gente busca (na festa de Bom Jesus dos Navegantes) é sempre estar em paz e transmitir essa paz para a festa”.

O cortejo ainda foi seguido por quatro lanchas da Marinha, além de uma moto aquática. Cerca de 30 militares participaram da operação – incluindo equipes em terra e no mar. O capitão dos portos na Bahia, Ricardo Pinheiro, coordenou a travessia na embarcação Barracuda.

Lá na Boa Viagem, a mãe esperava o filho nas areias da praia. Por volta das 12h, o Bom Jesus dos Navegantes reencontrou a Nossa Senhora da Boa Viagem. A comerciante Ione dos Santos, 62, segue a tradição de esperar o  retorno do Bom Jesus há mais de 20 anos. Para ela, começar o ano assim tem uma energia diferente. “A gente chega enfraquecida e vai embora fortalecida. É a fé que traz boa saúde, paz e menos violência. Estamos precisando de mais respeito”, disse ela, que mora em Cosme de Farias.

Já a aposentada Agda Felipe, 77, fez o inverso: voltou à festa na Boa Viagem depois de mais de 20 anos. Moradora de Pernambués, ela diz que a distância desestimulava. “Mas decidi vir agradecer e assisti duas missas já. Vim agradecer pela saúde, porque meus dois filhos trabalham e eu me viro sozinha. A emoção é a mesma (de 20 anos atrás). Só os padres que eu não conheço mais”, contou, aos risos

Tradição de 125 anos
As imagens do Bom Jesus ficarão disponíveis para adoração dos devotos até 15h deste domingo. Depois, a igreja da Nossa Senhora da Boa Viagem ficará fechada.

Desde quinta-feira (29), os fiéis se preparavam para a festa, por meio do tríduo. No sábado, o Bom Jesus deixou a Igreja da Boa Viagem na galeota Gratidão do Povo – que passa o ano guardada, em um galpão ao lado do templo, esperando a festa do padroeiro.

A festa é tão tradicional que a primeira viagem com a galeota foi feita em 1892 – completa, assim, 125 anos em 2017. Mas, antes disso, já existia a devoção a Bom Jesus dos Navegantes e a Marinha era a responsável pelo transporte da imagem.

BUSCAR NO SITE:

O seu produto no caminho do consumidor
Outdoor, Taxidoor, Busdoor em Salvador e região Metropolitana

(Propaganda em Ônibus),