Notícias

Postado em 07/12/2015 12:56

Obrigatoriedade de roupas típicas preocupa baianas evangélicas em Salvador

Regras foram regulamentadas nesta semana na capital baiana.

Share Button
Share Button

A Prefeitura de Salvador regulamentou a profissão de baiana de acarajé e determinou que todas elas deverão usar roupas típicas. O problema é que algumas baianas são evangélicas e são contra o uso da indumentária tradicional, porque identificam nas roupas elementos do candomblé.

“Sou uma serva de Jesus e é a Ele que peço um bom dia de trabalho”, disse dona Raimunda Borges, que monta seu tabuleiro diariamente na Pituba. Vale citar que as novas regras tiveram o aval da Associação Nacional de Baianas de Acarajé e de Mingau, mas não escaparam da polêmica. Desde quarta-feira (02), dona Raimunda está preocupada com o futuro.

Para a Prefeitura, o uso de roupas tradicionais não tem relação com religiosidade. “A fé é questão de foro íntimo, não é uma roupa que vai mudar a religião de ninguém”, disse Rosemma Maluf, secretária municipal de Ordem Pública, ao jornal Folha de São Paulo.

Júlia Rodrigues dos Santos, de 59 anos, também é baiana e opinou a favor da prefeitura de Salvador. “Não dá para ser baiana e trabalhar usando short, avental ou guarda-pó”, brincou.

Fonte: Varela Notícias

BUSCAR NO SITE:

O seu produto no caminho do consumidor
Outdoor, Taxidoor, Busdoor em Salvador e região Metropolitana

(Propaganda em Ônibus),