Notícias

Postado em 17/01/2017 7:51

Prefeitura apreende sucatas na Suburbana para limpar vias e combater Aedes aegypti

.

Share Button
Share Button

A Prefeitura de Salvador, através da Secretaria de Ordem Pública (Semop), realizou nesta terça-feira (17) uma operação para remoção de sucatas de veículos na região da Avenida Afrânio Peixoto (Suburbana). O motivo da ação, realizada periodicamente em outros lugares da cidade, é combater focos de proliferação do mosquito Aedes aegypti e liberar espaço nas vias públicas para transeuntes e veículos.

“Esse trabalho serve para proteger a estética da cidade, além de sanar um problema de saúde pública, pois as sucatas acumulam água e atraem mosquitos da dengue, ratos e animais peçonhentos. Também serve para deixar a calçada livre”, explica o chefe do Setor de Proteção à Estética da Cidade (Sepec) da Semop, Roberto Guerreiro, que comandou a operação.

Uma equipe com 19 agentes do Sepec retirou 68 sucatas – algumas são carros inteiros, outras apenas pedaços – durante a manhã e a tarde, no trecho que vai da Baixa do Fiscal até a entrada do bairro de Itacaranha. Segundo Roberto Guerreiro, a escolha do local para a operação foi motivada pelo alto índice de abandono de veículos na região.

 “A Suburbana é o local onde há maior foco de abandono de sucatas, então resolvemos começar o ano estruturando essa região. No entorno, há várias oficinas e esse fator também favorece o descarte dos veículos por ali”, justifica Guerreiro. Em 2016, o Sepec apreendeu 560 sucatas na Suburbana. Em toda a cidade, foram 1.492 sucatas no ano passado.

Quem tiver alguma sucata apreendida por engano, ainda pode reaver o material. Para isso, é necessário ir ao depósito do Sepec, localizado na sede da Guarda Municipal, na Avenida San Martin. O prazo é de 60 dias, após este período as sucatas são doadas ou leiloadas. Ainda é preciso pagar uma multa de R$ 800. Já quem quiser denunciar alguma sucata em via pública, pode ligar para 156.

População comemora
Quem mora ou trabalha na Suburbana aprovou a operação do Sepec. “Muito boa essa ação, porque acaba com a dengue. Aqui tem muita muriçoca, muito rato”, afirma a marisqueira Maria dos Santos, 52 anos, que mora ao lado de oficinas que expõem sucatas na calçada.

A estudante Andreza Chamusca, 16, também comentou sobre a doença. “Costuma ter muita dengue por aqui, fica acumulando água nessas latas velhas”, reclama. Já a comerciária Vanessa Souza, 22, se incomoda com a mobilidade da via. “(As sucatas) ficam no meio da rua, atrapalhando a passagem. Acho ótimo que venham aqui tirar”, diz.

BUSCAR NO SITE: