Notícias

Postado em 14/03/2018 1:51

Neto decide futuro político neste final de semana

.

Share Button
Share Button

O prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) informa a decisão sobre a candidatura ao governo estado para seus aliados na próxima semana. O anuncio oficial acontece até o dia 7 de abril, provavelmente, no próprio dia 7. O compromisso foi firmado durante a reunião com a bancada de deputados estaduais na noite da última terça-feira (13).

Dois 21 parlamentares, 20 participaram do encontro com o líder político. Os deputados demonstrando preocupação com a possiblidade de Neto não disputar a chefia do Palácio de Ondina foram, como esperado, expressar o apoio.

Na conversa, o prefeito não entrou em muitos detalhes – seria difícil manter o sigilo diante de tantos presentes -, contudo, deixou claro que ainda avalia o cenário em dois segmentos: pesquisas e alianças com três partidos.

No que se refere às pesquisas, Neto revelou que o cenário é favorável. Os itens que causaram preocupação ao mandatário do campo político foram relativizados pelos aliados sob o argumento de que outras questões no levantamento apontam para outra direção.

“A população de Salvador quer que Neto continue como prefeito, mas sabe que ele pode fazer muito sendo governador, portanto, temos convicção de que há margem para convencimento dos soteropolitanos. Mais que isso, a saída dele para o governo não é algo visto como ‘traição’ ou descumprimento de compromisso”, afirma um dos presentes que pediu para não ter o nome publicado.

Mais uma pesquisa encomendada chegará às mãos do prefeito neste final de semana. O levantamento somado às tratativas com três partidos – o segundo segmento – selará o rumo de Neto nesta corrida eleitoral

A situação do MDB, PR e PP é o que vem consorciado com as pesquisas. Na reunião com os deputados, Neto não entrou em detalhes. O que disse é que está conversando com as três legendas e que não necessariamente se faz necessária a presença de todas para definir a candidatura.

O problema é que atualmente, o mais provável é que tenha apenas o PR nas suas fileiras. O PR chegará com uma fatura nada promissora. Tem pouco menos da metade do tempo de televisão do MDB, cinco deputados federais – no cenário ideal com Ronaldo Carletto e Roberto Britto -, mais um ou dois estaduais (Robinho e Luiz Augusto, sendo o primeiro certo em caso e o segundo duvidoso).

O MDB depende da situação do deputado federal Lúcio Vieira Lima. Ainda que seja cassado pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, a influência e peso sobre a legenda na Bahia continuarão presentes de modo que Neto terá que lidar com os prós (tempo de tv e fundo eleitoral) e contras (malas com mais de R$ 51 milhões).

O PP depende de uma costura nacional que tem poucas chances de prosperar, embora em política não se possa descartar nenhuma hipótese minimamente possível. Ciro Nogueira, presidente nacional da sigla, tem simpatia pela candidatura de Rodrigo Maia (DEM) à presidência.

Tem uma relação próxima com Neto e Cláudio Cajado (DEM), mas terá, como escrito inúmeras vezes, que se aliar ao PT no Piauí e isso não o coloca em condições de impor aliança ou promover intervenção no diretório baiano dos progressistas.

A operação para o deputado federal Elmar Nascimento sair do DEM e integrar o PP como forma de levar o partido para o ninho de Neto não funcionou. Tampouco a ventilação de que Nascimento teria “discutido enfaticamente” com o prefeito de Salvador para criar um clima de estremecimento e consequente independência política colou.

Neto disse em reunião com os deputados estaduais que neste final de semana destrava estas conversas. O prefeito já se reuniu com os deputados federais e vereadores para discutir o a diagnóstico e saídas neste cenário político eleitoral. A bancada estadual foi a última desta série. Agora, é esperar a decisão e o anúncio.

BUSCAR NO SITE:

O seu produto no caminho do consumidor
Outdoor, Taxidoor, Busdoor em Salvador e região Metropolitana

(Propaganda em Ônibus),